:: metodologia

 

A metodologia dos grupos de auto-ajuda foi inspirada no trabalho da associação A Nossa Âncora, de Portugal, entidade parceira da Casulo. Na reunião auto-ajuda, o grupo se encontra duas vezes por mês. As reuniões têm uma hora e meia de duração e contam idealmente com a presença de cinco a doze pessoas.

O coordenador do grupo é alguém que de preferência já passou por uma experiência de luto, sendo capaz de acolher as pessoas e de se mostrar sensível aos sentimentos dos todos. O coordenador deve saber ouvir, ser paciente, mas ao mesmo tempo estar atento aos tempos de falas e intervenções dos participantes, evitando alongamentos desnecessários.

Como regra geral, os grupos de auto-ajuda são trabalhados em 12 encontros, mas a condução dos temas depende sempre da vontade dos participantes. Os temas dos 12 encontros são os seguintes:

1 - O que perdi e onde quero chegar - no primeiro encontro, o coordenador fala das regras a serem respeitadas: discrição, respeito, assiduidade, pontualidade, liberdade, partilha etc.

2 - A minha história.

3 - Será que vou ficar curado(a)?

4 - Sinto-me muito mal. Por quê?

5 - Estou zangado com ele (ela).

6 - O culpado sou eu.

7 - Como tomar conta de mim?

8 - As pessoas que ajudam e as que atrapalham no meu processo de luto.

9 - Há coisas que tenho que fazer.

10 - A busca de um sentido para a perda.

11 - O perdão à pessoa que partiu.

12 - A retomada daquilo que emprestei.


Também como regra geral, cada encontro de auto-ajuda pode contar com as seguintes fases, também possíveis de serem adaptadas de acordo com as particularidades do grupo:

1 - Recepção - acolhimento individual de cada um dos participantes.

2 - Concentração - é o momento de interiorização, procurando esquecer das preocupações exteriores. Pode ser um momento de silêncio de mãos dadas, uma breve leitura, uma oração.

3 - Análise do último encontro - os participantes são convidados a dizer como passaram desde a última reunião (o material trazido pode ser tão importante que pode ocupar todo o tempo do encontro).

4 - Apresentação do tema - o coordenador apresenta o tema ou a fase da evolução do luto escolhida para o encontro. O grupo pode escolher outro tema se preferir.

5 - Participação - o coordenador respeitosamente estimula a participação de todos.

6 - Intervalo - a responsabilidade do café pode ser revezada entre participantes. É um momento rico de abertura e intimidade.

7 - Encerramento - é o momento de combinar o que será feito até o próximo encontro, entregar um resumo do tema tratado, de propor leituras, filmes, teatro e tudo aquilo que possa colaborar na superação do luto.